quarta-feira, 20 de julho de 2011

Voltas que a vida dá

"Saber que o amor só é amor quando é troca
E a troca só tem graça quando é de graça" Elisa Lucinda

Sempre ouvimos aquele mesmo ditado de avó: "A vida dá voltas, o que vai, volta". E não é que essa teoria tem um fundinho de verdade? Tão adverso é o fato de nos firmarmos um chão mau estruturado, que a qualquer momento pode cair, tombar e te fazer se machucar.

Mas não fiquemos falando nas más consequências. Vamos ao longe... Sonhos, planejamento, organização e palavras ditas ao léo. Cito a mim mesma: "Sou mais eu!", "Não volto nunca mais", "Meu futuro já está arquitetado!". Tudo balela, frases prontas, essas que o destino me fez engolir letra por letra, assim mesmo, difícil para digerir.

Me toquei que eu não era mais eu sozinha, precisava de alguém; caí na 'tolice' de voltar; e não, meu futuro não está arquitetado.

Mas pude ver pessoas que me feriram, machucaram, riram enquanto eu chorava, agora se ferir, se machucar e chorar! Penalizada eu não fico. Não me vinguei, a vida foi a responsável por isso. E aquela voz da vó ecoa: "o que vai, volta". Hoje leio mensagens tristonhas nas redes sociais que se perguntam "por que comigo?" A resposta está dentro de si mesma. Pense um pouco!


Posso dividir algo extraordinário na minha vida: a leitura do livro "Parem de Falar mal da Rotina", de Elisa Lucinda. A cada frase encontro um motivo pra viver sem medos, sem frustações, e com muito tesão. Desde quando senti o cheiro de papel novo, minha vida mudou. Como Elisa mesmo diz, tudo o que faz parte da rotina, faz parte da vida e vale a pena: o café da manhã, o ônibus que me leva para o trabalho, o pãozinho com manteiga, as brigas proveitosas com o meu irmão; os amassos que sempre dou numa pracinha qualquer, o beijo; a novela, aquela
música que ouço todos os dias porque choro de emoção. Aiii a rotina! Ela me ensinou como fazê-la se agradável, tocante, sensacional.

Por isso, hoje eu não lamento o passado, não guardo desavenças. Porque o que vai, volta e a rotina pode ser bem melhor do que parece. Não é chatisse, é a vida, a sua vida, a minha vida.

Um comentário:

Bianca Watty disse...

Lindo texto, Parabéns. <3